Blog

O papel do Sistema de Identificação Automática (AIS) por satélite na digitalização do comércio marítimo e das cadeias de fornecimento

À medida que a Quarta Revolução Industrial traz à tona uma nova onda de tecnologias digitais, automatizadas e autônomas inteligentes, é importante lembrar que sistemas criados há mais tempo têm desempenhado um papel essencial em nosso admirável mundo novo (orientado por dados) e, de fato, continuam a se desenvolver e se combinar ativamente a outras tecnologias existentes e emergentes.

Para a nossa estratégia oceano azul, embarcações, comércio e cadeias de fornecimento em todo o mundo, uma dessas tecnologias é o sistema global de identificação automática de embarcações (AIS) e, mais especificamente, o AIS por satélite (S-AIS).  Nesta introdução a uma nova série de demonstrações, e comemorando o atual desenvolvimento das dimensões do S-AIS na era digital, apresentamos uma breve explicação sobre as origens do AIS, a revolução dos satélites e algumas de suas principais aplicações nos dias de hoje.

P: O que é a tecnologia AIS?

A tecnologia AIS (Sistema de Identificação Automática) é um sistema de transmissão de bordo que comunica a identificação, posição, curso, velocidade e outros dados críticos da embarcação.

O AIS passou a ser adotado mais amplamente depois de 2002, quando a Organização Marítima Internacional (OMI) — órgão da ONU responsável pela administração das atividades marítimas internacionais — modificou sua Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar (SOLAS) para exigir que as maiores embarcações acima de 300 toneladas de arqueação bruta instalassem transceptores AIS “Classe A” para viagens internacionais.

Em 2006, o Comitê de Normas Técnicas de AIS da OMI prosseguiu com a especificação de AIS “Classe B”, introduzindo dispositivos de custo mais baixo para uma faixa mais ampla de embarcações comerciais menores. Desde então, os Comitês de AIS da OMI continuam desenvolvendo normas e protocolos para a infinidade de tipos, tamanhos e frotas de embarcações que navegam por águas internacionais nos dias de hoje. Essa regulamentação se estende desde embarcações mercantis, incluindo granel seco, contêineres, cargas gerais, refrigeração, supercargueiros “ro-ro” e navios-tanque, até navios de passageiros, iates e outras embarcações de lazer, navios de fornecimento offshore, navios de pesca, frotas militares e outros.

P: Por que o AIS foi desenvolvido?

Originalmente, o AIS foi concebido como um sistema de identificação de curto alcance e alta intensidade para evitar colisões e permitir que as embarcações vissem e fossem vistas por outras na vizinhança imediata. Posteriormente, também passou a ser utilizado pelas autoridades marítimas nacionais e regionais para rastrear embarcações navegando por suas costas e para auxiliar os serviços de tráfego de embarcações (VTS) que, da mesma forma que o controle de tráfego aéreo para aviões, é responsável pela navegação segura de embarcações autorizadas nos portos de partida e chegada.

Resumindo: segurança e controle do domínio marítimo.

P: Qual é a diferença entre AIS Terrestre e AIS por Satélite?

Tudo se resume ao meio e às capacidades versus o propósito. Na primeira onda de desenvolvimento do AIS, as mensagens era recebidas exclusivamente por estações em terra. Essa tecnologia, conhecida como AIS terrestre (T-AIS), continua exercendo um papel crucial nos dias de hoje, com estações de base espalhadas por todo o planeta.

Mas existe uma desvantagem.

Nossos serviços de dados AIS líderes do setor proporcionam a mais completa imagem situacional global da atividade dos navios utilizando dados de receptores AIS terrestres e por satélite

 

 

 

 

 

O alcance do T-AIS é limitado a aproximadamente trinta milhas náuticas da costa, o que significa que ele é incapaz de rastrear embarcações em oceano aberto. Com a intenção de desenvolver o AIS como uma ferramenta global mais abrangente para a consciência de domínio marítimo, no final da década de 1990, algumas autoridades marítimas começaram a investigar a possibilidade de gerenciar mensagens do AIS do espaço.

Uma delas foi a Guarda Costeira dos EUA (USCG), que entrou em contato com a ORBCOMM em 2001 para discutir o conceito de “AIS do espaço”. Na época, a ORBCOMM era uma das poucas pioneiras no mundo dos satélites, e suas atividades consistiam em desenvolver comunicações com base espacial dedicadas a aplicações comerciais máquina-a-máquina (M2M), e não no uso majoritariamente defensivo e governamental.

O diálogo inicial foi seguido com um contrato da USCG em 2004 para que a ORBCOMM desenvolvesse e demonstrasse operacionalmente a viabilidade do AIS por satélite.

Em 2008, após quatro anos de pesquisa intensiva, desenvolvimento e testes, a ORBCOMM se tornou a primeira proprietária de uma rede de satélites comerciais no mundo a oferecer serviços de dados AIS com o lançamento de seis satélites M2M com habilitação para AIS e tecnologia de ponta. Com a adição subsequente da segunda geração da constelação OG2 em 2014-15 (alguns cujo famoso lançamento para a órbita foi feito nos foguetes SpaceX de Elon Musk), a ORBCOMM passou a operar a mais antiga e confiada rede multigeracional de AIS por satélite, trabalhando com 16 estações terrestres espalhadas por todo o mundo.

P: Qual é a importância do AIS por Satélite?

Atualmente, a ORBCOMM processa dezenas de milhões de mensagens de AIS de centenas de milhares de embarcações todos os dias, impulsionando a visibilidade da economia azul global, do comércio marítimo e das cadeias de fornecimento internacional dos quais dependem nosso planeta, nossos povos e nossas economias.

Os riscos inerentes das operações espaciais não podem ser subestimados. Ainda assim, as soluções em satélites AIS desenvolvidas pela ORBCOMM e seus parceiros assumiram o desafio, fornecendo um monitoramento quase em tempo real das embarcações em todos os oceanos profundos do mundo com um alto nível de confiabilidade.

Os serviços de dados AIS ORBCOMM combinam múltiplas fontes para o máximo de cobertura.

Considere as estatísticas

  • Os oceanos cobrem aproximadamente 72% da superfície da Terra, totalizando 363 milhões de quilômetros quadrados.
  • Estima-se que 90% do comércio mundial seja movimentado pelo mar, de alimentos, remédios e itens essenciais de cuidados com a saúde a commodities essenciais (óleos, grãos, madeira etc.), peças e bens finalizados ao longo de cadeias de fornecimento industrial e de manufatura e, obviamente, uma quantidade impressionante de bens de consumo.
  • Pelo menos 155 milhões de toneladas de frutos do mar para consumo humano e outros usos são obtidos nos oceanos.
  • Aproximadamente 65 milhões de pessoas tiram seu sustento da navegação mercantil, sem incluir os muitos outros milhões trabalhando em terra em portos, logística e indústrias de transporte terrestre, cujas vidas dependem do comércio marítimo.
  • De acordo com a ONU, estima-se que pesca e aquicultura sejam responsáveis por 260 milhões de empregos em todo o mundo e contribuem com 100 bilhões de dólares por ano para a economia global.
  • Os mares são uma fonte de prazer para milhões de pessoas todos os anos, contribuindo para a economia global com cruzeiros, passeios de iates e outras atividades de lazer.

Dessa forma, certamente o valor da visibilidade do transporte e comércio marítimo não pode ser subestimado.

Ampliando os limites de detecção e explorando todas as novas informações disponíveis, atualmente os dados de AIS por satélite contribuem muito mais para o mundo do que esperava-se originalmente.

P: Então, qual é a importância do AIS por satélite nos dias de hoje?

A ORBICOMM trabalha com cada vez mais parceiros públicos e privados, que agregam valor e participam do desenvolvimento de cada vez mais aplicações para os dados de AIS, incluindo formas de combiná-lo com outras tecnologias digitais, como M2M, IoT, IA e outros. Traremos mais informações a respeito nos próximos relatórios concentrados em estudos de caso específicos, mas apenas para destacar alguns grandes casos de uso existentes e emergentes:

  • Prestar assistência em portos de todo o mundo para coordenar a chegada e a partida de embarcações, a fim de aumentar a eficiência das operações comunitárias entre portos e da cadeia de fornecimento
  • Maior visibilidade da cadeia de refrigeração para reduzir o desperdício de alimentos, suprimentos médicos e outros perecíveis com monitoramento remoto em tempo real e controle a bordo e em terra para cargas refrigeradas e equipamentos de transporte
  • Combater o problema global da pesca ilegal, não reportada e não regulada (IUU)
  • Oferecer melhor resiliência e resposta à cadeia de fornecimento com atualizações do oceano em tempo real, para que seja possível planejar e mitigar proativamente os (inevitáveis) atrasos e problemas técnicos
  • Possibilitar a segurança e o cumprimento das leis marítimas globais
  • Facilitar a conformidade com o cumprimento, a aplicação e a gestão de risco de sanções marítimas
  • Coletar dados para apoiar a conformidade ambiental, social e de governança (ESG)
  • Gerar dados quase em tempo real para auxiliar a definição de preços e comércio
  • Oferecer dados concretos para auxiliar seguros marítimos, proteção e garantia (P&I) e prevenção de perdas, incluindo risco de guerra, pirataria e outros
  • Fornecer dados para possibilitar a criação de novos aplicativos e plataformas digitais, incluindo a saúde e o bem-estar globais de navegantes
  • Auxiliar iniciativas mais amplas de sustentabilidade e mudança climática com dados concretos, como a Aliança Global de Indústrias e a Força-Tarefa de Otimização de Chamadas Portuárias da OMI, para reduzir emissões e aumentar a eficiência da interface navio-porto

Por meio de revendedores, parceiros, governos federais e agências internacionais, o AIS por satélite da ORBCOMM já está possibilitando a visibilidade global da navegação e do comércio, auxiliando tudo, desde cadeias de fornecimento e sustentabilidade à segurança nacional. Dizem que “informação é o novo petróleo” e, com a aceleração digital amplamente antecipada na crise da pandemia global da COVID-19, certamente o AIS desempenha um grande papel no fornecimento automatizado e confiável de grandes dados para ajudar a potencializar a transformação digital do comércio marítimo e das cadeias de fornecimento.

Para ver como nosso portfólio de soluções em AIS pode aprimorar a sua forma de fazer negócios, entre em contato conosco on-line ou pelo e-mail info@orbcomm.com.

Follow Us

ORBCOMM on Twitter

Archives